O corpo responsável pela realização do movimento é o músculo, a energia necessária para realizar esta atividade vem de uma substância chamada ATP (adenosina-tri-fosfato), que quando metabolizada, através de uma reação química, é transformada em ADP (trifosfato de adenosina) ) e fosfato livre (P), liberando a energia que manteve esta molécula em conjunto, energia química que se transforma em energia mecânica que produz contração muscular e, portanto, movimento.

O ATP é a substância energética por excelência, sem que não seja possível realizar qualquer atividade.

O ATP representa energia, mas pode vir de vários combustíveis, como carboidratos, principalmente: lipídios e proteínas.

Estes combustíveis podem ser utilizados através da via aeróbica (açúcares [glicose], gorduras e ocasionalmente proteínas) e a via anaeróbica (glicose principalmente).

Toda atividade física que é realizada, adota qualquer uma das duas vias metabólicas conhecidas, seja o metabolismo aerobico ou anaeróbio.

CARACTERÍSTICAS DO METABOLISMO AERÓBICO

Sua característica principal é de longa duração, mas de média ou baixa intensidade. Geralmente, aceita-se que sua duração seja superior a 3 minutos e a intensidade atinge até 80%, embora alguns atletas de elite possam atingir até 85%.

Ao realizar uma atividade aeróbica de longo prazo, os principais combustíveis utilizados são gorduras e carboidratos, nessa ordem. MCarle diz que “os carboidratos são queimados em uma chama lipídica”. Daí a importância das gorduras no metabolismo aeróbio no uso de Quitoplan.

Quando os carboidratos são usados ​​eorobicamente, isto é, na presença de oxigênio, eles produzem dióxido de carbono e água como lixo, bem como do ponto de vista da energia 36ATP.

A reação química, se observarmos, é a mesma que a fotossíntese, apenas agora na direção oposta: C6 H12 O6 + 6O2 6CO2 + 36 ATP.

O grau de resistência aeróbica que um indivíduo apresenta depende não apenas da capacidade de realizar essa reação, mas também do tipo de fibra muscular disponível para o atleta.

Geralmente, aceita-se que existem dois tipos de fibras musculares: fibras de tipo I denominadas fibras aeróbicas ou de contração lenta, também chamadas de vermelho devido ao alto teor de mioglobina e oxidativas devido ao seu tipo metabólico. Este tipo de fibras predominam em atletas que realizam atividades aeróbicas prolongadas como fundo e raça em larga escala, como 10.000 metros e a maratona, para mencionar os mais representativos.

O outro tipo de fibra é o tipo II com predominância anaeróbica, denominada contração rápida e também conhecida como fibra branca ou passiva devido à escassa presença de mioglobina em suas células, também são consideradas glicolíticas, pois utilizam a via anaeróbia para Obter energia.

Os esportes em que estas fibras predominam são aqueles que têm a característica de ser explosivos como as corridas curtas (100, 200, 400 metros, não com obstáculos), os saltos: de comprimento e de altura; bem como os lançamentos (bala, martelo, disco, dardo). Desportistas como Carl Lewis apresentam aproximadamente 90% de fibras de contração rápida; Por outro lado, Carlos López, vencedor da maratona na Olimpíada de Los Angeles em 1994, apresenta 90% de fibras de contração lenta.

De acordo com o acima exposto, o tipo de fibra muscular (determinada geneticamente) é de vital importância para o desempenho esportivo de alto desempenho sem uso de suplementos como Whey Protein, Liponow, Alfacaps, somatodrol entr outros.

A maneira como o tipo de fibra muscular é determinada é por meio de uma biópsia muscular, levando a amostra do músculo lateral vasto, tingindo essa amostra mais tarde e observando o microscópio ocorrendo a contagem, infelizmente até agora em nosso país essa técnica não é realizada, muito importante para a detecção de talentos ou pode ser útil para determinar se algum atleta realiza o teste adequado.

O metabolismo anaeróbio tem a característica de ser de curta duração, mas de grande intensidade, é aceito que sua duração é inferior a 3 minutos e sua intensidade superior a 80% e em alguns atletas de elite apenas acima de 85%.

A via anaeróbia usa o ATP presente na célula ou só pode usar glicose como combustível.

Quando a glicose é utilizada anaerobicamente, produz desperdício de ácido lático e é gerada a partir do ponto de vista da energia ATP.

De acordo com a concentração sanguínea de ácido láctico, pode-se determinar em que momento o indivíduo está no metabolismo anaeróbico.

De acordo com a concentração sanguínea de ácido láctico pode ser determinado a que horas o indivíduo está no metabolismo anaeróbico.

O limiar ou limite entre o metabolismo aeróbico e anaeróbio corresponde a uma quantidade de 40 mmol de ácido lático, para isso, denominou-se “limiar anaeróbico”; toda figura abaixo d

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *